A FOME DO LEÃO NÃO PARA, SER INSACIÁVEL...

A FOME DO LEÃO NÃO PARA, SER INSACIÁVEL...

Estamos vivendo momentos difíceis, pela retração econômica. Caso isso não bastasse para empurrar à penúria o setor gerador de riquezas, renda e empregos, em nosso

pais, o Estado, travestido na figura de "polícia arrecadadora", na verdade expropria, sob o disfarce de tributos, as poucas figuras, que ainda restam, do planejamento tributário.

Assim, se não bastasse a medida anunciada para 2017 de tributar os lucros distribuídos das empresas sob o regime de Simples Nacional e de Lucro Presumido em 15%, tributará, também, os lucros das atividades dos brasileiros no exterior, conforme descrevo abaixo.

Realmente, enquanto nós, brasileiros, discutimos se devemos ou não responsabilizar o MP e o judiciário, por seus equívocos, igualitariamente como qualquer cidadão, o Estado CONFISCA valores, já tributados e muito, sob outros títulos, e, ninguém faz nada.

Aos empresários brasileiros, geradores de riqueza, resta apenas uma coisa: Resignar-se, registrar a sua contabilidade de forma correta e regular (somente pelo regime de competência, mesmo que esteja autorizado a manter o regime de caixa!), absorvendo os custos e despesas desse estado de coisas ou simplesmente fechar e mudar de país, quem sabe até mesmo o Paraguai, antes execrado, ora exaltado.

Triste, ver essa situação no meu País!!!!

‘’ Receita regulamenta tributação de lucros auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas no Brasil Instrução Normativa (IN) RFB n.º 1.674/2016 trata de crédito presumido e opção pelo regime de competência‘’

Foi publicada no Diário Oficial da União, a IN RFB n.º 1.674 que dispõe sobre a tributação de lucros auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas no Brasil.

Este ato normativo regulamenta a opção de a pessoa jurídica domiciliada no Brasil oferecer à tributação os lucros auferidos por intermédio de suas coligadas no exterior considerando o regime de competência, ainda que possa optar pelo regime de caixa.

A norma também atualiza a lista de atividades econômicas que podem ser beneficiadas pela dedução de até 9% a título de crédito presumido sobre a renda.

Fonte: RFB

Related Articles

Folgueral Consultoria